Sonhos - Introdução aos sonhos

Introdução aos sonhos

O sonho é uma porta para o nosso subconsciente. Mas não se engane, às vezes nosso sonho não quer dizer simplesmente nada. Por isso, nunca fique tão preocupado com um sonho que teve. Ele pode prever muitas coisas, como pode também estar sendo fruto da nossa imaginação ou de desejos que queremos que aconteça.

Na verdade, nada melhor do que nós mesmos para desvendar nossos sonhos. Só nós sabemos o que se passa dentro das nossas mentes. Assim, é mais fácil nós desvendarmos os sonhos do que uma pessoa que mal nos conhece ficar tentando dizer o significado dos nossos sonhos.  

Antes diziam que não eram todas as pessoas que sonhavam, ou que os sonhos eram causados por má digestão. Hoje está provado que todos nós sonhamos. A diferença entre as pessoas está na medida em que conseguem recordar-se dos sonhos. 

Descobriu-se que os sonhos ocorrem periodicamente durante o sono, a intervalos regulares de cerca de uma hora e meia entre o surgimento de uma atividade onírica e a seguinte. O sonho pode não durar mais do que 10 minutos ou se estender até por meia hora.

Os sonhos são importantes para descansar a nossa mente. É um tempo que nossa mente dá para o nosso corpo se recompor da vida corrida. É o tempo onde nos entregamos ao mundo da fantasia. Isso explica porque a insônia é tão nociva.

Quando adormecemos, ficamos privados de vários estímulos que nos é dado quando estamos acordados, e os sonhos suprem essa falta. 

Os sonhos são responsáveis por várias obras de vários artistas. Músicos, pintores, escritores, dizem ter criado suas obras , ou tido a idéia, durante o sonho. Muitos levantaram-se rapidamente, no meio da madrugada, para anotar a idéia. Foi o que aconteceu com Warwick Deeping, que certa vez sonhou com um enredo de um conto, e acordou às cinco da madrugada, a fim de passá-lo para o papel. 

Exemplo semelhante aconteceu com Robert Louis Stevenson, quando sua mulher despertou-o certa noite, dando gritos. O escritor aborreceu-se com ela, pois, de acordo com ele, ela estava sonhando "com vigorosos lances de um belo conto". Assim nasceu, mais tarde, "The Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde " (O Médico e o Monstro).

A nossa mente prepara o sonho de modo que nada nos interrompa. Por exemplo, se caímos da cama durante a noite, a mente prepara uma imagem onde caímos de uma árvore. Várias experiências foram feitas nesse sentido. Numa das experiências, dois estudiosos borrifaram o rosto de uma pessoa adormecida. Quando ela acordasse, deveria narrar o que tinha sonhado. Um dos pacientes disse que sonhou que o telhado de sua casa estava cheio de goteiras.

Entretanto, esses estímulos não ocorrem a qualquer hora do sono, e sim na hora exata do sonho. Esta é mais uma comprovação de que dormimos para sonhar, pois precisamos de ajuda psicológica, que nos é dada pelos sonhos, em termos de saúde mental.

Existem três tipos de sonhos: os movimentados, que se verifica durante os períodos de REM (Rapid Eye's Movements, movimentos oculares rápidos); os mais tranqüilos, que ocorrem em outros pontos do ciclo do sonho; e o sonho que se verifica durante o primeiro estágio do sono: o sonho hipnagógico, que pertence ao período entre a vigília e o sono.

O sonho hipnagógico se caracteriza por sensações físicas pouco comuns e por estranhas alucinações, que podem assumir a forma de rostos e cenas campestres.

Agora que você já sabe algumas verdades sobre esse misterioso assunto, na próxima noite vá para a cama relaxado, sem muitas preocupações na cabeça. Assim provavelmente você vai se lembrar dos seus sonhos com mais freqüência, e poderá aprender a conhecer a si mesmo, desvendando seus próprios sonhos.

Posted by criptopage