Reflexão - Fábula da Estrela Verde

Fábula da Estrela Verde

Havia milhares de estrelas no céu.

Estrelas de todas as cores: brancas,

prateadas, verdes, douradas, vermelhas e azuis.

Um dia, elas procuraram Deus e lhe disseram:

- Senhor, gostaríamos de viver na Terra entre os homens.

- Assim será feito, respondeu o Senhor.

Conservarei todas vocês pequeninas

como são vistas e podem descer para a Terra.

Conta-se que, naquela noite, houve uma

linda chuva de estrelas.

Algumas se aninharam nas torres das igrejas,

outras foram brincar de correr

com os vagalumes nos campos;

outras misturaram-se aos

brinquedos das crianças e a Terra ficou

maravilhosamente iluminada.

Porém, passando o tempo, as estrelas

resolveram abandonar os homens e voltar para o

céu, deixando a Terra escura e triste.

- Por que voltaram?

- perguntou Deus, à medida que elas chegavam ao céu.

- Senhor, não nos foi possível

permanecer na Terra.

Lá existe muita miséria

e violência, muita maldade, muita injustiça...

E o Senhor lhes disse:

- Claro! O lugar de vocês é aqui no céu.

A Terra é o lugar do transitório,

daquilo que passa,

daquele que cai,

daquele que erra,

daquele que morre,

nada é perfeito.

O céu é lugar da perfeição, do imutável,

do eterno, onde nada perece.

Depois que chegaram todas as estrelas

e conferindo o seu número,

Deus falou de novo: - Mas está faltando

uma estrela. Perdeu-se no caminho?

Um anjo que estava perto retrucou:

- Não Senhor, uma estrela resolveu

ficar entre os homens. Ela descobriu que

seu lugar é exatamente onde existe a imperfeição,

onde há limite, onde as coisas

não vão bem, onde há luta e dor.

- Mas que estrela é essa?

- voltou Deus a perguntar. - É a Esperança,

Senhor. A estrela verde. A única estrela dessa cor.

E quando olharam para a Terra, a estrela não estava só.

A Terra estava novamente iluminada porque havia

uma estrela verde

no coração de cada pessoa. Porque o

único sentimento que o homem tem e

Deus não tem

é a esperança.

Deus já conhece o futuro, e a Esperança

é própria da pessoa humana,

própria daquele que erra,

daquele que não é perfeito,

daquele que não sabe como será o futuro.

Posted by criptopage